Esporte e Faculdade | Como o Basquete pode te ajudar?

Fala, pessoal!

Eu sou de uma família que sempre teve muito envolvimento com atividade física, e das mais diferentes formas (basquete, futebol, vôlei, dança, trilha, musculação, caminhada, natação…). Também pudera, minha mãe foi professora de educação física (e mesária da Confederação também) e sempre incentivou a prática de esportes.

Porém, teve algo que sempre falou mais alto em casa e era inadmissível não corresponder: ESTUDO. Meu vô sempre falava que podemos perder tudo, porém o que aprendemos ninguém pode tirar. E é sobre isso que gostaria de falar, caro leitor.

Participar de uma equipe de basquete é o caminho em busca de se tornar um profissional, porém esse não precisa ser o objetivo final. O basquete pode ser uma atividade física que faça bem para sua saúde; pode ser uma forma de ficar próximo dos seus amigos e desenvolver trabalho em equipe; pode ser que você queira ganhar um troféu e ter essa experiência; pode ser que você receba uma ajuda de custo que faça toda diferença para sua família; por fim, entre muitos motivos, pode ser o que te possibilite ter acesso a uma educação que não teria recursos para arcar.

Na matéria que fiz sobre a ApageBask (leia aqui), mencionei que o time tem parcerias com colégios e faculdades. Seguindo na mesma linha, gostaria de apresentar para vocês uma instituição de ensino que incentiva a união estudo com esporte: FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado).

Aproveitando o momento, incentivo outras instituições de ensino que queiram divulgar seus programas de bolsa para atletas de basquete. Será um prazer divulgá-lo!

Falei com a Anna Julia, que é a presidente da Atlética da FECAP, sobre como é o programa de esportes dentro da faculdade.

  • Quais as modalidades disponíveis para bolsa?

Futsal (M/F), futebol de campo (M), xadrez (unissex), jujitsu e judô (masculino), tênis de campo e de mesa (M/F), handebol (M/F), vôlei (M/F), rúgbi (M/F), natação (F/M) e claro, basquete (M/F). Todos os cursos são elegíveis para bolsa, com exceção dos tecnólogos, que não aceitos no Economíadas.

  • Como é o processo seletivo?

A gente faz vários treinos na FECAP com o time atual. Primeiro tem uma entrevista por telefone para saber o que a pessoa procura, se realmente quer estudar, e depois é o treino aberto seletivo junto com o nosso time.

Na entrevista também perguntamos qual o histórico esportivo da pessoa, que acaba pesando bastante. Se já foi federado (ou ainda é) as chances são maiores. Nós temos pessoas que já passaram por seleções brasileiras, tanto na graduação quanto na pós.

  • Qual o percentual das bolsas?

Ela varia de 30 à 70% para graduação e tem para pós-graduação que é até 100%.

  • Quais as principais competições que participam?

Dentro campeonatos que disputamos, tem a NDU (Novo Desporto Universitário), que envolve várias atléticas de São Paulo e o Economíadas, que é o principal. Além de inter-calouros e inter-bixos que também disputamos, mas é bem menor e ocorrem 2 vezes por ano (um em cada semestre).

FGV x Mackenzie – Final do Basquete – Economíadas 2017
  • Quais as principais conquistas do basquete?

As principais conquistas no basquete foram ouro na NDU de 2019, terceiro lugar no Economíadas de 2019 e ouro no inter-calouros. Antes a gente não participava da NDU porque o técnico achava que o nível da competição era muito alto. Desde o ano passado nós trocamos todos os técnicos e a escolha passou a ser 100% da Atlética. Bom, a gente teve um avanço que não tem nem como explicar.

  • Existe apenas um time que representa a faculdade ou cada curso tem sua equipe, técnicos e competições?

Um time representa a faculdade, mesmo porque nossa atlética é unica.

  • Quem são os técnicos de basquete atualmente?

Nós temos o Marcus Sestrem e o Paçoca (Maurício)

  • Os alunos costumam acompanhar os jogos do time na torcida?

Os alunos não tem o costume de acompanhar, são mais os familiares e amigos mais próximos. Com exceção do Economíadas, onde a galera vai bem mais.

  • Teria algum momento marcante relacionado ao basquete para compartilhar?

Com certeza foi ano passado, antes de chegar na semifinal, onde tivemos um jogo contra a FGV e nosso time não era tão bom quanto ele é hoje. Era praticamente impossível passar de fase e a gente ganhou deles por 50 à 49 no Economíadas. A torcida da FGV estava em peso e não tinha praticamente ninguém da FECAP. Foi muito fu#$%do!

Como mencionado na conversa, um dos técnicos é Marcus Sestrem, que também é técnico do São Paulo nas categorias Sub-12/13. Troquei uma ideia com ele também sobre o que acha desse programa. Acompanhe:

Eu entrei na FECAP no meio do ano passado a convite da Atlética. Já havia sido técnico de alguns jogadores e fiquei muito entusiasmado com essa questão da bolsa atleta. Muitos tem me procurado para perguntar como funciona e me agrada muito o estilo da FECAP e acho que deveria ser seguido por todas faculdades. E vou até além, cara, até por escolas, que aí eu tenho certeza que o esporte melhoraria muito.

Marcus Sestrem com título do Paulista Sub-12 de 2019

O objetivo principal, que é onde me chama muito atenção, é o estudo. Não adianta nada pegar alguém que joga mas que não vai estudar. Até uma coisa que a gente filtra na nossa inscrição é que as vezes o cara acha que só vai jogar e não é assim. Tanto que aqui ele não vai perder a bolsa se não for campeão. A primeira coisa que vai fazer ele perder a bolsa é pegar uma DP. A frequência em treinos também tem sua importância, mas o resultado em si não tem.

Quando entrei nós tínhamos um time bom, mas por eu estar no meio da federação e clubes, hoje estou conseguindo trazer atletas que terminaram de jogar juvenil em clubes grandes, atletas de LDB. Inclusive eu tenho o cestinha da LDB do ano passado, por exemplo, e foi um cara teve uma proposta de percentagem de bolsa maior do que a gente ofereceu para ele, só que ele quis vir para nossa justamente por conta do estudo, e foi aí que abrimos até um pouco mais.

É uma oportunidade realmente de estudo e fazer aquilo que você sabe, que ama, que tem qualidade – no caso o esporte. A gente treina 1-2 vezes por semana, disputamos NDU e o principal que é o Economíadas. Estamos com um time competitivo e, como disse, tenho quase 10 jogadores que jogaram federação até pelo menos juvenil, e a grande maioria sendo destaques. É juntar o útil ao agradável.

E com certeza ajuda o atleta que tem dificuldade financeira ou até aqueles que estão terminando o juvenil e querem começar a estudar, ingressar numa faculdade. Você oferece uma bolsa de 50-70%, o garoto consegue se manter no começo, até com ajuda da família, mas depois começa a trabalhar e fica muito mais fácil de tirar da renda dele, porque não vai ser um valor alto que irá pagar por conta desse beneficio. Sem dúvidas que isso abre portas, mas claro, a gente pega muitos casos que mesmo com a bolsa máxima, não tem condição. Mas na grande maioria, quando oferecemos essa bolsa mais alta, poxa, consegue jogar basquete, que ele ama, e pode estudar e seguir carreira no curso que sonha também.

Muito obrigado, Anna e Marcus! Acredito que o depoimento de vocês possam ajudar muitos atletas que queiram estudar, e poder aliar a habilidade adquirida durante os anos de basquete para possibilitar os estudos, sem dúvida é o match perfeito.

Se tiverem mais dúvida, recomendo deixar uma mensagem nos comentários ou entrar em contato com a Atlética pelo Instagram, – clique aqui. Segue também o link para inscrições no processo seletivo: https://inscricao.fecap.br/Login/13002

É isso, pessoal, um abraço e até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s