Conheça Bruno Tasso, armador do Olympico Club

Fala, pessoal!

Eu realmente estou gostando muito de fazer essas entrevistas para o site. É uma oportunidade muito legal de conhecer os atletas além das quadras e também divulgá-los para meus leitores/seguidores. E as minhas escolhas muitas vezes me dão a sensação de estar apresentando para você, caro leitor, famosos que ninguém conhece. Mas por que estou falando isso? Simples, é o caso do meu entrevistado.

Esse atleta vem se destacando nos campeonatos mineiros, onde já é bastante conhecido, mas seu talento o permite que jogue em alto nível também no nível nacional e que seja admirado por muitos que tem contato com ele. Ao mesmo tempo, é pouco conhecido pelo público que acompanha base fora de Minas Gerais. Pois então gostaria que conhecessem mais de Bruno Tasso, armador do Olympico Club.

Informações do atleta

  • Altura: 1,81m
  • Posições: armador e ala/armador
  • Categorias: Sub-15/16

Conquistas individuais:

  • Melhor armador (Copa Arcelor-Mittal 2019 Sub-15)
  • Atleta destaque pelo Olympico Sub-13 de 2018 em cerimônia de premiação pelo clube,
  • Atleta destaque em 2015/16 pelo colégio onde eu comecei a jogar no Sub-11 e Sub-12.

Conquistas coletivas:

Equipe do Colégio Eccelente
  • Campeão Metropolitano Sub-14 (Olympico, 2019)
  • Campeão Estadual Sub-14 (Olympico, 2019)
  • Campeão Metropolitano Sub-14 (Colégio Eccelente, 2019)
  • Campeão Estadual Sub-14 (Colégio Eccelente, 2019)
  • Campeão Regional Sub-14 (Colégio Eccelente, 2019)
  • Vice-Campeão Sub-14 e Sub-13 Brasileiro

Qual sua rotina semanal de treinos/jogos?

Antes da quarentena eu tinha treino todos os dias, de segunda à sexta, com Sub-15/16/17. Além disso, lá no Olympico a gente tem fisioterapia, academia e psicologia.

Quais campeonatos que participa durante o ano?

Durante o ano eu participo do campeonato metropolitano e estadual aqui me Minas Gerais, que tem todo ano. E tem ano que tem brasileiro, como teve no Sub-12/13/14, mas esse não teria – apenas no Sub-16. A gente joga esses 3 campeonatos e de vez em quando viajamos para algum sul-americano ou alguns campeonatos do tipo. Por exemplo, a gente foi para o Chile esse ano e quando eu era Sub-12 fomos para o sul-americano em Novo Hamburgo. Basicamente são esses: metropolitano, estadual, brasileiro e sul-americano.

Qual foi sua melhor partida? Por quê?

Melhor partida foi na final do brasileiro Sub-14 do ano passado, onde eu fiz 14 pontos, 10 assistências, 7 rebotes e 6 roubos de bola. Eu considero minha melhor partida pois consegui comandar e fluir o jogo muito bem pois eu joguei agressivo e servindo bem meus companheiros de time.

Como foi participar do camp da NBA?

Foi uma experiência única e maravilhosa, onde tive a oportunidade de estar entre os 15 melhores da América Latina e foi muito gratificante a experiência de jogar com pessoas de outros países. Tive a oportunidade também de fazer muitas amizades com pessoas da Argentina, Uruguai, até mesmo da Jamaica. Foi uma experiência excelente e tenho amigos de lá até hoje. E pude aprender bastante, até o Lucas Nogueira (Bebê) apareceu no camp para treinar com a gente. Foi um aprendizado excelente.

Atletas participantes daJr. NBA Camp – Latin America

Quais atletas, do Brasil ou fora, que mais te chamaram atenção no camp?

Um armador chamado Santiago Candia. Ele era muito fora da curva, com passes excelentes, com visão de jogo, ele era bem completo. Confesso que foi o cara mais difícil que já marquei na minha vida, ele tinha arremesso, corte, era muito explosivo, o entediamento de jogo dele era absurdo.

Santiago Candia

Também me surpreendi com outros jogadores. Tinha um pivô lá da Argentina (Prome) que era muito habilidoso e matava muita bola, cortava, fazia tudo e era alto e forte também.

E do Brasil eu conheci pessoas que não haviam ido para o brasileiro, e quem mais me chamou atenção lá foi o Henrique Lúcio, que é muito atlético, bem completo, me surpreendi bastante com ele e com todo mundo que estava lá. Foi excelente para mim.

Como foi a experiência de jogar a Copa Brasil? O que achou do nível dos times?

Foi excelente para mim porque deu para ver o nível do basquete na minha categoria e a gente teve a oportunidade de ir para a final. Jogaço! A gente ficou em segundo lugar e teve prorrogação. Foi um nível muito alto do basquete e a gente não conhecia muitos times, então foi muito bom de se jogar e apresentar meu jogo. Foi muito gratificante.

Como foi participar do torneio do Chile?

Foi muito legal porque foi a primeira vez que saí do Brasil para jogar basquete e foi uma coisa bem diferente. Outra cultura, completamente diferente da nossa, e foi bem bom. Em relação ao basquete, o nível era bem alto, tanto que no início foi estranho para se acostumar, porque pegamos o campeão logo de cara. E o estilo de jogo lá é bem diferente, porque eles não são tão altos, mas são bem fortes e prezam muito o chute de três por conta da altura, então foi bem difícil no começo, mas depois nós ganhamos jogos e ficamos em quinto lugar. E foi legal porque pudemos jogar com pessoas que nunca vimos na nossa vida, de outro lugar e poder fazer amizades. Foi maravilhosa.

A torcida sempre enchia os ginásios e praticamente ninguém torcia para gente, só as pessoas que nós fizemos amizade mesmo, que estavam nos outros times. De resto, era todo mundo torcendo para os times do Chile. Era difícil mas uma coisa muito legal de se ver e diferente, sabe.

Jogo do Olympico contra Valparaíso

Quais seus pontos fortes?

Eu considero como pontos fortes a leitura e entendimento de jogo, tenho um ótimo passe e a minha liderança – eu sou sempre quem comanda, eu tenho esse perfil. Tenho bastante recurso para cortar, chutar e sou bastante explosivo. Eu não sou um cara muito físico, mas compenso com a explosão.

O que precisa melhorar em seu jogo?

O ponto que mais preciso melhorar é na questão defensiva: pegar rebote, marcar jogadores maiores e mais fortes.

Você tem um estilo que mescla um armador mais clássico (focado em passes e assistências) mas com bons recursos ofensivos, porém hoje se exige uma agressividade maior dos armadores. Como você e seus técnicos trabalham esses pontos?

Eu sou um jogador bem explosivo, sempre cortei muito bem, e basicamente meu jogo é corte e se não conseguir finalizar, soltar e servir os jogadores. A gente vem trabalhando também jogo de fora, por exemplo, matar bola de 3, DPJ (drible, parada e jump), floater. Então estamos trabalhando bastante nisso, que inclusive usei no Chile, e procuramos não focar em um ponto apenas, mas em tudo.

Quem são suas referências dentro e fora das quadras?

Eu tenho duas referências bem grandes no basquete: Steve Nash e o Ja Morant. Esses dois eu tenho muita inspiração no estilo de jogo. Em relação a fora das quadras, eu me inspiro bastante nos meus pais, que sempre me incentivaram nos meus sonhos, são pessoas trabalhadoras que conquistaram o que desejavam, são humildes, honestos, então me inspiro bastante neles.

Bruno e seus pais

Esse ano teríamos seleção sub-15. Tem vontade de jogar pela seleção?

Sim, eu tenho bastante vontade de jogar e eu venho trabalhando para um dia chegar. Sempre foi uma vontade minha de representar meu país. Sempre quis e espero um dia conquistar isso.

Já pensou em se transferir para outro estado ou país?

Sim, já pensei. Por exemplo, esse ano tive algumas conversas para eu ir para Madrid, mas não foi uma coisa que a gente decidiu fazer agora, principalmente com tudo que está acontecendo.

Onde quer chegar com o basquete?

Eu pretendo jogar na NBA eu numa Euroleague, que é o sonho de todo mundo, e eu vou fazer de tudo para conquistar isso. É um sonho meu desde que eu comecei a jogar basquete e vou batalhar por tudo isso.

Mensagem de agradecimento para o time

Gostaria de agradecer ao meu time, que sem eles eu não chegaria a lugar algum, sou referência graças a eles. E todo o apoio que minha família, minha namorada, meu irmão me dão. Tenho muito a agradecer ao clube, que me deu a oportunidade de jogar com eles desde pequeno. Agradeço a todos que mencionei, e a você, cara, pelo que vem fazendo pela base, que é algo sensacional. Valeu, tamô junto demais!

Grande Brunão! Imagina, eu que agradeço a disponibilidade em participar e espero que mais pessoas possam conhecer seu talento. Sucesso, man!

É isso, pessoal, um abraço e até a próxima!

3 comentários Adicione o seu

  1. Jersone Silva disse:

    Show! Parabéns pela entrevista.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Angela Xavier Rodrigues disse:

    Parabéns Bruno!!!!
    Tenho certeza vai fazer uma longa caminhada. Com muitaaaaass vitórias.
    Um grande campeão.
    Que Deus te abençoe imensamente.
    Um bjo querido.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Raquel Vieira Resende disse:

    Adorei a entrevista, fico muito orgulhosa do nosso atleta ❤️

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s