Conheça Kauan Nascimento, de Campinas para Itália

Fala, pessoal!

Ano de 2017 e estou acompanhando o time do Regatas. Tinha visto que um dos destaques do campeonato era Henrique Lúcio (ala do Pinheiros atualmente) e iria entrar em quadra contra um time da capital pelo Campeonato Paulista Sub-12. Pois bem, um outro jogador me chamou atenção além do ala, tanto pelo jogo próximo a cesta e boa locomoção pela quadra quanto pelo estilo (óculos de proteção no melhor estilo Kareem Abdul-Jabbar).

No ano seguinte, fui acompanhar o Regatas jogar contra o São Paulo, agora na categoria Sub-13 e esse atleta teve um salto de qualidade incrível, tanto que conversava com alguns pais do time da casa sobre sua evolução notável. Ele estava mais forte, mais confiante e com mais recursos (veja abaixo sua partida contra o Mackenzie).

Essa evolução não parou e seu talento o levou para terras europeias, onde seguiu seu desenvolvimento na Itália. Pois bem, gostaria que conhecessem um grande atleta da geração 2005: Kauan Nascimento.

– Informações do atleta

  • Nome: Kauan Nascimento Raymundo
  • Altura: 1,97m
  • Posições: ala/pivô e pivô

Conquistas:

Kauan recebendo premiação do quinteto ideal
  • Prêmio de melhor pivô do Encontro sul-americano (2018)
  • Segundo colocado pelo Clube Campineiro Regatas no Encontro sul-americano (2018)
  • Duas vezes terceiro lugar da federação paulista de basquete série ouro pelo Clube Regatas
  • Campeão do troffeo Claudio Papini pelo Crabs Rimini-Italia
  • Vice-campeão do Torneio de San Sepolcro
  • Quinteto ideal da etapa Rimini do torneio EYBL 2018-2019

– Onde começou a jogar e porque escolheu o basquete?

Levado pela minha mãe e tendo influência e inspiração de meu pai, comecei a jogar em um projeto social chamado Basquete IAPI da minha cidade, Campinas, com 10 anos de idade.

– Quais seus pontos fortes?

Kauan em ação pelo Regatas contra o Palmeiras

Jogo bem dentro do garrafão, bom trabalho perto da cesto, sou bom em dar tocos, uso bem minha envergadura para defender.

– O que precisa melhorar em seu jogo?

Melhorar a habilidade na Defesa do perímetro, arremesso de longa distância e melhorar meu Ball handle.

– Como é sua rotina de treinos?

Dois treinos diários de segunda a sexta-feira. E Jogos aos sábados e domingos.

– O que o fez tomar a decisão de ir jogar fora do Brasil?

Kauan e sua mãe, Natália.

‌A oportunidade de aprender uma nova língua e cultura. Melhorar meu basquete com uma rotina diária de treinos voltados pro esporte.

– Como é a estrutura do basquete italiano?

O basquete na Itália é muito bem estruturado. A liga possui três tipos de campeonato de base com níveis diferentes. O regional, o Elite e o Eccellenza, sendo esse último o mais competitivo. A medida que os times avançam nessa competição vão enfrentando os times mais fortes de cada região da Itália.

Paralelo ao campeonato há diversos torneios durante o ano.
Com um número grande de times da base e de torneios nacionais e internacionais para disputar, tem uma boa competitividade e desenvolvimento do jogo.

– Sentiu muita diferença nos estilos de jogo?

Senti muita diferença no estilo de jogo. Lá na Itália é muito valorizado a tática, os fundamentos e a defesa. Embora eles não sejam tão vibrantes como no Brasil, aqui dentro e fora de quadra há uma grande vibração e energia!

– O que mais te chamou atenção durante nos jogos na Europa?

No caso do meu time, me chamou atenção o fato de que disputamos um torneio internacional com times de toda Europa tendo vários jogadores de alto nível.

– Quais jogadores mais te impressionaram até o momento?

Matteo Visintin foi o jogador que mais me impressionou. Ele é um ano mais velho e um jogador extremamente dominante. Saliou Niang também muito me impressionou com 2m e muito versátil podendo jogar em quase todas as posições.

– Quais os torneios/campeonatos que disputa durante o ano?

A temporada regular na Itália vai de Setembro a Maio. Em geral, lá os times disputam o campeonato da federação italiana e diversos torneios. No time que estava, disputei por duas temporadas o campeonato Eccellenza italiano, Troffeo Papini, duas vezes o torneio EYBL, Troffeo Gardosi, Torneio de San Sepolcro.

– Pretende voltar a jogar no Brasil?

Nesse momento não pretendo voltar a jogar no Brasil.

– Qual foi sua melhor partida de todos os tempos?

Não me recordo com certeza mas acho que minha melhor partida foi contra a Virtus pelo Italiano com 28 pontos e um ótimo aproveitamento.

– Quem são suas referências dentro e fora das quadras?

Minha referência é o Giannis Antetokounpo e Allen Iverson dentro de quadra. Minha mãe e meu pai fora das quadras.

– Onde quer chegar com o basquete?

Quero chegar a NBA!

– Mensagem para treinadores e colegas

Sou muito grato às pessoas com quem eu joguei, sou muito amigo deles até hoje. Agradeço meus companheiros na Itália que me ajudaram bastante com a língua. Quero agradecer a todos meus treinadores, em especial ao meu treinador Gordan Firic.

Valeu demais, Kauan! Sabe que estou na torcida pelo seu sucesso!

É isso, pessoal, um abraço e até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s