Conheça a Fisioterapia Esportiva | Conversa com Ariane Lopes

Fala, pessoal!

Devido a pandemia do COVID-19, os campeonatos foram paralisados e muitos atletas, acostumados com uma vida ativa, precisaram desacelerar e aguardar a volta dos jogos. Alguns ainda conseguiram manter os exercícios, seja por conta ou com auxílio, mas a grande maioria não teve essa oportunidade.

Pois bem, estamos vendo alguns times voltando aos treinos e esse pode ser um momento delicado, pois é uma volta após um longo período de inatividade. Pensando nisso, conversei com a fisioterapeuta esportiva, Ariane Lopes, para entender mais sobre a área (é uma opção interessantíssima para você, caro leitor-atleta), os desafios profissionais de lidar com equipes e seleções e, claro, o risco de lesão no retorno às quadras.

Acompanhe a entrevista que ficou muito legal!

Qual objetivo principal de uma fisioterapeuta esportivo?

Têm muitos objetivos, mas eu penso principalmente em 3:

  • Diminuir risco de lesões;
  • Tratar lesões acometidas dentro do esporte;
  • Preparação e recuperação pré e pós jogo.

Qual a importância da fisioterapia em uma equipe de base?

A importância é o autoconhecimento do atleta, ele entender a importância do exercício, que não é apenas jogar basquete. Para ser um atleta tem que fazer exercícios preventivos para evitar e diminuir lesões. Nós explicamos a importância do descanso, do sono, além de entender que o fisioterapeuta está lá para melhorar a performance dele, e isso tem que ser explicado desde de base.

Quais as diferenças em se trabalhar no esporte de formação e com adultos?

A área da saúde vem evoluindo muito, e assim a fisioterapia também. Quebrar crenças de uma vida inteira de atleta é muito difícil, pensando no adulto, além dos atletas que têm lesões já serem mais crônicas (lesões de anos).

Pensando nos retornos após quarentena, quais os cuidados que se deve ter nos trabalhos físicos para diminuir os riscos de lesão?

Temos que trabalhar alinhados com a preparação física. Eles que vão comandar em relação a controle de carga, e nós, fisioterapeutas, vamos ajudar nos exercícios de fortalecimento específicos após uma boa avaliação pós pandemia, para ver as perdas e os ganhos de cada atleta.

A volta tem que ser gradativa.

Muitos atletas buscam manter as atividades físicas sem orientação de um profissional. Existe uma lesão mais comum nesses casos?

Não existe uma mais comum, mas geralmente são lesões agudas, como as famosas tendinites. (inflamação no tendão).

Quais as lesões mais comuns em início de temporada e como prevenir?

Não temos esses dados, mas baseado em minha experiencia, a que eu mais vejo de início de temporada são as entorses de tornozelo. Precisa ser realizado um trabalho de fortalecimento e propriocepção.

O trabalho de prevenção é personalizado (levando em conta estrutura muscular, biotipo,…), coletivo ( olhando mais idade) ou uma combinação dos dois?

Uma combinação dos dois. Antes de iniciarmos a prevenção, temos que realizar uma avaliação nesses atletas. Após avaliação e identificar os maiores défices, podemos assim direcionar. Como sabemos que não são todos os fisioterapeutas que conseguem avaliar porque geralmente atendem mais de uma categoria, a CBB criou a vacina CBB 12, onde temos exercícios para diferentes níveis de dificuldades para serem realizados no clube específico para o basquete, assim trabalhado em grupo.

Mas conseguimos analisar no dia-a-dia, tanto no treino quanto na fisioterapia os atletas que precisam de um preventivo personalizado, onde ele faz sozinho, em horários alternativos ou antes dos treinos.

Existe diferença na atuação com meninas e meninos?

Sim e não. Sim pela parte genética e hormonal, onde ficamos atentos a lesões mais acometidas em cada gênero, mas em relação a educação do atleta, tratamos igual. Educação do atleta é, basicamente, o ensinamento de se tornar um atleta, como já dito a consciência corporal, importância do descanso, alimentação, exercícios, e a parte mental.

Quais as particularidades de um fisioterapeuta que trabalha com basquete em relação a outros esportes?

O Fisioterapeuta esportivo precisa conhecer o esporte, então o fisioterapeuta que trabalha com basquete precisa “falar a mesma linguagem”, entender a biomecânica, e as regras do esporte. Se possível amá-lo também. Eu amo! Rs

Os técnicos e fisioterapeutas trabalham juntos para identificar pontos de cuidado e fortalecimento do atleta, ou é importante que essa análise seja feita exclusivamente pela equipe médica?

Nós temos total interação com os técnicos. Somos muito abertos em relação a nossos pensamentos e atitudes. Em relação ao fortalecimento do atleta fica mais voltado a nós, da saúde, identificar e tratar. Na preparação física, principalmente, tentamos deixar os técnicos mais focados na parte técnica, mas isso não interfere para que seu olhar técnico nos ajude e ele queira colaborar. Será sempre bem-vindo sua opinião.

Quais os desafios e diferenças se trabalhar com uma equipe durante uma temporada e uma seleção, onde o convívio é de algumas semanas?

Os desafios sempre vamos ter, nas duas opções. Durante uma temporada de campeonato nacional, temos mais tempo, conseguimos aplicar e ver os resultados dos preventivos; durante uma seleção conseguimos implementar muita coisa, mas os resultados não são tão instantâneos. Conseguimos ver melhora, mas não tanto, porque também estamos no meio de uma competição onde temos jogos quase todos os dias e temos que controlar carga e tratar de possíveis lesões.

Então diria que durante a temporada o desafio seria manter essas atividades para não se tornarem repetitivas e assim desestimulantes. E na seleção, o pouco tempo de trabalho, por isso a importância de se continuar o trabalho pós seleção.

Quais as principais lesões em atletas de basquete, feminino e masculino?

A região mais afetada, independente do sexo e categoria, são lesões nos membros inferiores:

  • Tornozelos e pé 32,1%
  • Joelho 17,6%
  • Coxa, quadril e perna 13,8 %

Se pensarmos isolados nas mulheres é diferente a ordem:

  • Joelho 20,6%
  • Tornozelo 19,5%
  • Coxa, quadril e perna 17,5%

Segundo ANDREOLI, Carlos Vicente et al. Epidemiology of sports injuries in basketball: integrative systematic review. BMJ Open Sport & Exercise Medicine, v. 4, n. 1, 2018.

Como se tornar um profissional da área? Qual a formação necessária? Quais as oportunidades no Brasil?

O Fisioterapeuta esportivo precisa ter especialização na área para se considerar fisioterapeuta esportivo, e ser aprovado pela COFFITO (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional)

Mas fisioterapeutas graduados podem realizar a atividade de trabalhar e atuar em quadra e clínica. Minha introdução no basquete foi assim, eu era estudante de fisioterapia e sempre me interessei pelo esporte pois já fui atleta federada, então sempre estagiei em jogos regionais e jogos abertos por São Bernardo do Campo, atendendo muitos esportes diferentes.

Após me formar me convidaram para assumir o time  feminino de basquete de São Bernardo, onde assumi desde da base ao adulto. Após 1 ano veio o convite de também atuar com o masculino, onde foi desde a base até o adulto. Durante 3 anos vivenciei basquete todos os dias e finais de semana, e após o time de São Bernardo entrar para LBF, recebi o convite maravilhoso para trabalhar com a seleção de basquete. Uma grande honra e orgulho em minha vida.

Então na verdade eu criei a oportunidade e as portas foram se abrindo conforme meu trabalho foi sendo bom e notável. Têm oportunidades para todos, vale a pena se dedicar que sempre tem alguém de olho em seu trabalho, seja ele para um clube melhor ou para uma clínica – ou quem sabe uma seleção.

Quem quiser conhecer mais do meu trabalho e tirar dúvidas sobre fisioterapia e fisioterapia esportiva, fique a vontade para entrar em contato comigo será um prazer falar com vocês.

Segue minhas redes sociais:

Sensacional, Ariane. Muitíssimo obrigado pela disponibilidade e tenho certeza que será bastante útil para atletas, técnicos e pais que acompanham o site.

É isso, pessoal, um abraço e até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s