Desenvolvimento x Vitórias | Quais as consequências de uma abordagem e da outra?

Fala, pessoal!

Para quem me acompanha, pode já ter percebido que eu valorizo bastante a busca pelo desenvolvimento durante o período de base, muito mais que a vitória. Se um atleta tem intenção de se profissionalizar, eu não acredito que simplesmente ser campeão Sub-1X vai ajudar em suas chances de encontrar um clube após etapa de formação.

Aliás, cabe um parênteses aqui. Técnicos me procuraram pedindo vídeos de equipes que não disputaram títulos na bolha da federação. Voltando ao texto.

Recentemente eu me deparei com um texto que fala exatamente sobre isso (link original aqui) e tem um título excelente: Desenvovimento leva a resultados, resultados não necessariamente levam a desenvolvimento.

A matéria fala sobre vários esportes e precisei trazer para você, caro leitor. Acompanhe e deixe seus comentários.

Atualmente, há (ainda) um debate em andamento nos círculos do futebol sobre o papel da vitória nos programas de desenvolvimento de esportes juvenis. Mais especificamente, um treinador só é bom se ganhar partidas da base? Ao responder a essa pergunta e olhar para este debate, provavelmente a coisa mais importante para começar é perceber qual é o objetivo de um time de base. Por que ele existe? Qual é o objetivo de todos eles? Achando difícil responder a essas perguntas? Tente esta, por que levamos nossos filhos para a escola?

A razão de termos time de base e escolas para jovens é porque queremos desenvolver nossos filhos. Quando temos sucesso no desenvolvimento de nossos filhos? Na escola, temos sucesso quando as crianças se formam, em um domínio que eles preferem e que se adapta às suas qualidades e paixão. No esporte? Temos sucesso quando as crianças se tornam profissionais e realizam seus sonhos! Portanto, uma boa equipe de base é aquela em que há um fluxo contínuo de jogadores entrando no domínio profissional, eu acho.

Bem, qual é o papel da vitória no desenvolvimento de nossos jovens jogadores de futebol ? O futebol é um jogo e os jogos existem para serem vencidos. Não há discussão aqui. No entanto, no futebol juvenil existe um desafio de vencer. Surgirão situações em que uma escolha delicada terá de ser feita pelo técnico. Por exemplo, coloque-se no lugar do treinador, sua equipe chegou à final de um torneio. Você joga apenas com seus melhores jogadores (para ter uma chance maior de ganhar o torneio: concentre-se em vencer) ou joga com todos os jogadores (para que ganhem experiência: foco no desenvolvimento)? Este é um desafio extremamente delicado, e mais desafios como esses, maiores, mas principalmente menores, devem ser enfrentados durante o treinamento.

Ao escolher a vitória, isso não significa que você não esteja preocupado com o desenvolvimento dos jovens. No entanto, ganhar ou perder é mais importante do que desenvolver cada jogador para você. Ao escolher o desenvolvimento, isso não significa que você não esteja preocupado em vencer. No entanto, o desenvolvimento de todas as crianças é mais importante do que ganhar ou perder para você. Porque o objetivo de um time de base é transformar jogadores jovens em jogadores profissionais de futebol e é difícil, senão impossível, prever qual jogador se tornará um jogador de futebol profissional que eu escolheria para desenvolver todos os meus jogadores. O que os especialistas e a ciência nos dizem?

Resultados e potencial

Rasmus Ankersen visitou as chamadas minas de ouro em todo o mundo, como Bekoji (Etiópia), de onde vêm Tirunesh Dibaba, Tiki Gelana e Kenenisa Bekele. Ao visitar essas minas de ouro, ele descobriu que alguns talentos “gritam” e outros “sussurram”. Um talento que grita é aquele que tem potencial (para se tornar muito bom) e a capacidade de já vencer torneios. Um talento sussurrante é aquele que também tem potencial, mas não está tão longe em seu desenvolvimento para vencer torneios. O fator determinante de um talento não é, portanto, se ele ou ela ganha partidas, torneios ou é o melhor em uma idade muito jovem. O fator determinante de um talento é que ele ou ela tem potencial para vencer partidas, torneios e ser o melhor. Isso está de acordo com a pesquisa de Ostojic et al. (2014) sobre quem se destaca de forma tardia ou precoce no futebol (sérvio). Eles descobriram que os de destaque tardio em academias de jovens profissionais têm quase 6 vezes mais probabilidade de atingir o nível adulto de elite do que os precoces. Uma explicação possível: os treinadores confundem a superioridade dos precoces com talento. Ostojic et al. (2014) afirmou: ‘parece que a supremacia precoce no futebol juvenil não é um preditor de sucessos posteriores’.

Match: dê o seu melhor

Bastiaan Riemersma, chefe da academia do Willem II (clube holandês da Eredivisie), acertou em cheio no papel da vitória no desenvolvimento de crianças pequenas. Ele desenhou uma metáfora: “um cavalo pode correr rápido sozinho, mas não há necessidade. Se tiver que correr contra outros cavalos em uma corrida, será forçado a correr ainda mais rápido, tem que dar tudo ‘. Portanto, em uma partida de futebol, devemos ser gratos pelo adversário, porque ele força nossos filhos a dar o seu melhor. As crianças querem vencer e isso é perfeito. Os oponentes obrigam nossos filhos a descobrir e ultrapassar seus próprios limites. No que diz respeito ao desenvolvimento, isso é bom. Desenvolvimento é aprender o que ainda não foi adquirido. Desenvolvimento significa ultrapassar limites. O que o resultado de uma partida nos diz então? Apenas nos informa qual equipe foi melhor naquele dia específico. Isso nos dá uma ideia de quem se tornará um jogador de futebol profissional mais tarde? Não muito. Ao analisar a equipe Sub-19 do Ajax e a equipe Sub-19 do FC Barcelona para a UEFA Youth League, há alguns anos, Johan Cruyff centrou-se na forma como a equipe jogou e mencionou o placar como um elemento secundário, de menor importância. Depois de analisar, ele disse: ‘E eles também estão ganhando. Embora, o resultado seja sempre de interesse. ‘Ton Boot, um ex-técnico de basquete holandês que ganhou vários campeonatos nacionais com seus times adultos, disse:’ vencer não é algo que você fala sobre, é algo que você simplesmente faz. ‘

Consequências do foco em vencer e no desenvolvimento

Em 2014, O’Rourke, Smith, Smoll e Cumming pesquisaram sobre o clima motivacional criado por treinadores e pais e seus efeitos na autoestima de jovens nadadores (9-14 anos), ansiedade de jogo e motivação intrínseca. Faz diferença se um treinador/pai dá ênfase à vitória (clima de ego) ou se um treinador/pai dá ênfase à aprendizagem (clima de domínio)? Faz! Em um clima com ênfase na vitória, os jovens nadadores apresentam baixa autoestima e motivação intrínseca, mas maior ansiedade de jogo. Já os jovens nadadores em um clima de aprendizado têm menor ansiedade de jogo e maior autoestima e motivação intrínseca. Jaakkola, Ntoumanix, Liukkonen (2016) descobriram que um clima de domínio (enfatizando esforço, desenvolvimento pessoal e tarefas de domínio de metas de realização) leva a um maior prazer no hóquei no gelo júnior (idade média = 17). As descobertas de Cumming, Smoll, Smith, Grossbard (2007) nos dizem algo sobre a atitude do atleta em relação a um treinador em jovens jogadores de basquete (de 10 a 15 anos). A atitude do atleta em relação a um treinador está positivamente associada ao clima de domínio e negativamente associada ao clima do ego. Nenhuma diferença entre domínio e clima do ego e vitória foi encontrada.

Essas descobertas foram confirmadas em minha experiência. Por dois anos consecutivos, treinei uma equipe de jovens jogadores de futebol de Sub-9 e Sub-10. Vamos chamar este time: Time A. Com o staff, criamos um clima de maestria e nossos meninos costumavam jogar contra vários outros times, incluindo partidas regulares contra o time B naqueles dois anos. Depois de dois anos, deixei o time A para treinar outro time jovem, o time B. Os meninos do time A ganharam outro técnico, e com ele também outro clima motivacional: um voltado para a vitória. Três meses depois que o clima motivacional mudou para meus meninos da equipe A, tivemos que jogá-los com minha nova equipe B. Após a partida, um dos meninos da equipe B me disse o seguinte. Treinador, posso dizer que você não treina mais a equipe A. Quando costumávamos jogar com eles como seu treinador, eles continuavam trabalhando duro e ajudavam-se mutuamente em campo, não importava o que acontecesse. Hoje, quando marcamos alguns gols, eles ficaram com raiva um do outro e desistiram. Hoje foi um jogo fácil para nós. ‘

Para concluir, o desenvolvimento das crianças começa com o objetivo da equipe. O que é mais valorizado: vencer jogos juvenis ou desenvolver crianças? Um não exclui o outro, embora tenha consequências diferentes para seus filhos e seu desenvolvimento. Acredito firmemente que o foco no desenvolvimento por parte do treinador, em vez do foco na vitória, levará a mais jogadores de futebol profissional. Portanto, alguém é um bom treinador de jovens, na minha opinião, se é capaz de desenvolver todos os seus jogadores. Porque o desenvolvimento levará a resultados, mas resultados não necessariamente ao desenvolvimento.

E aí, caro leitor, o que achou? Deixem suas opiniões ou me procurem nas redes sociais (Twitter, Instagram) para seguirmos na discussão.

É isso, pessoal, um abraço e até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s